Secretário Municipal de Saúde fala sobre medidas para conter a Covid 19

Em 14, maio, 2020
Secretário Municipal de Saúde fala sobre medidas para conter a Covid 19

 

Atendendo ao requerimento da Câmara Municipal de Duque de Caxias, o secretário municipal de Saúde, José Carlos de Oliveira, participou na quinta-feira (14) de uma reunião virtual com os vereadores.

Presidida pelo vereador Marcos Tavares (AVANTE), o objetivo foi de fazer uma análise dos dados referentes à Covid 19 para subsidiar a implementação de políticas públicas e, desse modo, achatar a curva da pandemia no município. Marcos destacou o empenho, a dedicação, o comprometimento e a competência do secretário não apenas nas ações de combate à Covid 19, como no andamento dos trabalhos da pasta.

O vereador também ressaltou a postura do prefeito Washington Reis que, antevendo a situação, providenciou a aquisição do Hospital São José para tratamento de pacientes com a Covid 19. Marcos Tavares, porém, enfatizou que o sistema de saúde de Duque de Caxias está sobrecarregado com pacientes de outras localidades da Baixada Fluminense e questionou ao secretário de saúde quais atitudes têm sido tomadas.

José Carlos salientou que Duque de Caxias é um polo. “É uma cidade estratégica na Baixada Fluminense, onde temos cerca de quatro milhões de habitantes e Caxias, 950 mil”. Estes dados, segundo ele, reforçam os motivos da rede de saúde sobrecarregada.

O secretário ainda comentou que o principal exame da Covid 19 é a tomografia e que Caxias possui um pronto-socorro com cerca de 25 médicos, um laboratório aberto 24h com todos os tipos de exames, hospitais como o Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo com cirurgiões e médicos clínicos de plantão, leitos de CTI e Unidade de Pronto Atendimento (UPA). “O paciente procura o lugar onde possa fazer todos os exames. Duque de Caxias se estruturou para isso e está se estruturando mais ainda”, enfatizou José Carlos .

A aquisição do Hospital São José com 128 leitos de CTI foi um ganho ímpar para o município, porém, até o momento, 80 já estão ocupados, de acordo com o secretário. “Na semana que vem, vamos abrir o quarto andar do Hospital Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo com mais 56 leitos de CTIs e vamos inaugurar a Maternidade de Santa Cruz da Serra e retirar a do Moacyr”, disse o secretário, explicando que, assim, o Hospital terá cerca de 150 leitos disponíveis só para o tratamento da Covid 19. Outras inaugurações estão previstas como a do Hospital de Duque de Caxias, em 15 dias, com atendimento 24h e 30 leitos.

O vereador Valdecy (PP) questionou sobre outras formas de tratamento da Covid 19, além da que utiliza os respiradores. O secretário José Carlos explicou que Duque de Caxias segue os protocolos do Ministério da Saúde é da Secretaria de Estado da Saúde (SES/RJ) e que, inclusive, o médico da SES/RJ, Antônio Ribeiro, é o diretor do CTI do Hospital Dr. Moacyr Rodrigues do Carmo e diretor médico do Hospital São José.

“O tratamento depende de cada paciente”, disse ele, respondendo em sequência a outra dúvida do vereador Valdecy. “O Hospital São José é polo, regulado pelo Estado. Já tivemos 15 altas. Catorze pacientes estão entubados e em estado grave e 60 estão na enfermaria”. Alertou ainda que, conforme o Ministério da Saúde, o protocolo é a intubação antes de uma crise respiratória”.

O vereador Carlos de Jesus (PDT) ressaltou a garra do prefeito e do secretário no combate à Covid 19. Integrante do grupo de risco, disse que o Poder Público precisa ser mais enérgico e buscar o mais rápido possível medidas e soluções para reduzir o número de contaminações e óbitos no município. Destacou que iria se encontrar com o governador do Estado, Wilson Witzel, para pedir apoio, principalmente, àqueles cidadãos que perderam seus rendimentos e estão passando por dificuldades financeiras. O vereador Marcos Tavares solicitou que, ao encontrar o governador, cobrasse dele a inauguração do Hospital de Campanha de Saracuruna.

A vereadora Juliana do Táxi (PSD) solicitou informações sobre a quantidade de testes rápidos adquiridos, quantos foram realizados e quais os critérios, como ocorrem as transferências de pacientes e como os PSFs vão ser utilizados nas tiragens. O secretário informou que a Prefeitura adquiriu cinco mil testes e que o Estado repassou 3.200. O total é insuficiente para atender a toda população, por isso, os profissionais da saúde que apresentam sintomas serão os primeiros a serem testados, seguidos do grupo de risco.

José Carlos explicou que as transferências dependem do quadro clínico do paciente e que, no momento, o município necessita com urgência da contratação de médicos, incluindo para o Samu. Quanto aos PSFs, ele garantiu que estão sendo estruturados para a demanda, entretanto, há um atraso nas entregas dos equipamentos pelas empresas devido à falta de matéria-prima.

Juliana do Táxi também pediu providências quanto ao atendimento aos familiares de pacientes com a Covid 19. Muitos têm reclamado da falta de informações. “Eles precisam de atenção, acolhimento e respeito”, salientou a vereadora.

O vereador Junior Uios comentou sobre a necessidade de contratação de médicos e do pagamento feito pela Prefeitura aos cooperados. Também solicitou a planilha de custos do Hospital São José pós-pandemia. O secretário ressaltou que a intenção do prefeito é transformá-lo em um Hospital do Coração e que isto já vem sendo discutido com os governos estadual e federal. José Carlos ainda explicou que a previsão de custos para os próximos seis meses gira em torno de R$15.285.000,00 mensais, incluindo a compra do imóvel, a reforma e a aquisição de equipamentos.

A preocupação do vereador Catiti (PTN) com os pacientes crônicos é relevante no momento da Covid 19. Muitos estão sem saber como continuarem o tratamento. O secretário disse que o município busca soluções e que é fundamental ficar em casa para evitarem a contaminação.

O vereador Eduardo Moreira (PT) perguntou sobre o número de leitos de CTI e enfermaria no município. José Carlos reforçou a existência de 400 leitos somente para o tratamento da Covid 19. O índice de ocupação atual é de quase 90% devido a pacientes de outras localidades. Outra dúvida do vereador foi com relação ao número de infectados no município. Situação esta difícil de ser mensurada, de acordo com o secretário, pois muitas pessoas são ou estão assintomáticas.
Além disso, a curva da pandemia está ascendente no município chegando a atingir três mil novos casos por semana. Em Duque de Caxias, existem 120 respiradores em funcionamento. O secretário afirmou que, até o final do mês, o município terá 180 respiradores no total, mas reiterou que o problema atual é a falta de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem e que as contratações estão liberadas.

“Estes dados são importantes. Nenhum sistema de saúde, mesmo com todo esforço do secretário e do prefeito, vai aguentar se não conseguir parar esta contaminação”, disse o vereador Eduardo Moreira, ressaltando a sua indicação legislativa ao Executivo para que decrete, o mais breve possível, o Lockdown em Duque de Caxias, até porque o sistema privado de saúde também está com todos os leitos ocupados.

O vereador também voltou à questão da remoção dos corpos das residências e salientou a burocracia que as famílias têm enfrentado. José Carlos foi enfático ao comunicar que irá providenciar, a partir de agora que em caso de óbitos em domicílios, sejam encaminhados ao local o médico e a ambulância da Prefeitura para atestar a morte e fazer imediatamente a remoção do corpo.

Eduardo ainda comentou da necessidade de convocar representantes da empresa terceirizada e da cooperativa que contratam os profissionais da saúde no município, pois há reclamações de que aqueles que estão com atestados médicos em decorrência da Covid 19, estão tendo descontos no pagamento.

O vereador Beto Gabriel (PV) reforçou a necessidade de instalação de um gabinete de crise para focar na prevenção e Junior Reis (MDB) externou o problema com a demora na revalidação de diplomas e da contratação de médicos estrangeiros que iria ampliar o número de profissionais no combate à Covid 19. Chamou a atenção também população para que faça sua parte, adotando as medidas de precaução.

Para os vereadores e o secretário, a reunião foi muito produtiva e as sugestões e críticas serão analisadas para que possam servir de base para mais ações de combate à proliferação da Covid 19 em Duque de Caxias e ao fortalecimento da rede pública e privada de saúde do município.