Vereadores discutem demandas do município

Em 10, março, 2020
Vereadores discutem demandas do município

 

Na sessão plenária de 10 de março, após a leitura do Expediente do Dia feita pela segunda secretária da Mesa Diretora, vereadora Delza de Oliveira (PRP), o presidente da Casa, Sandro Lelis (PSL), abriu para as manifestações dos vereadores.

Aquiciley Filho Adão do Campo (PRB) ressaltou o papel fiscalizador do vereador e a importância dos atendimentos às indicações por parte da Prefeitura, principalmente, pela Secretaria Municipal de Obras. Ele citou a qualidade e a agilidade dos serviços realizados nos últimos dias devido às chuvas. “Estamos atentos às demandas, cobrando. Sei que o volume de ruas a serem atendidas é grande, mas tenho certeza de que os serviços serão feitos”, disse o vereador.

Nivan Almeida (PRP) falou sobre a drenagem, a pavimentação e a iluminação pública feitas, recentemente, na comunidade de Caiaca. Ressaltou a eficácia, a eficiência e a preocupação do governo municipal com os problemas advindos das últimas chuvas. “A Prefeitura esteve presente, mesmo na madrugada, com funcionários e operadores de máquinas. Isto nos dá uma demonstração de que o Poder Público está presente nos momentos de dificuldades”, disse o vereador, destacando ainda obras futuras como a do Hospital Municipal Infantil em Parada Angélica.

O vereador Beto Gabriel (PV) mostrou-se indignado com os serviços prestados pela Empresa União no município. Referindo-se ao bairro Chacrinha e região, disse estar preocupado já que os veículos estão sempre apresentando problemas e “deixando os moradores na mão”, sem contar a redução do número de ônibus.

Os vereadores Aquiciely, Juliana do Táxi (PSD) e Junior Uios (PT) comentaram diversas precariedades do transporte público como a idade e conservação da frota e a falta de ônibus aos sábados, domingos e feriados em alguns locais. Foi sugerida uma audiência pública para que os responsáveis possam dar seus esclarecimentos aos parlamentares e à população que é diretamente afetada.

O vereador Zezinho do Mineirão (MDB) solicitou ao líder do governo na Casa, Nivan Almeida, informações sobre o andamento do projeto de construção da Fazenda Paraíso para dependentes químicos. Também questionou a situação dos idosos de Duque de Caxias e a necessidade de criação de políticas públicas e de um abrigo para acolhê-los.

O vereador Nivan explicou que são políticas diferenciadas. O Estatuto do Idoso já tem mecanismos e propostas para que os governos da União, dos Estados e Municípios possam desenvolver políticas públicas para atender os idosos. “Tivemos em Parada Angélica, no governo passado, a construção de um abrigo para idosos”, ressaltou Nivan. Porém, houve a necessidade de verificação de preço. “Não se estabeleceu coerência com o espaço construído com os gastos que foram feitos. Isto está num processo judicial”, disse Nivan, reiterando que o governo municipal tem trabalhado com afinco a atenção ao idoso.

Com relação à Política de Dependência Química, Nivan esclareceu que é um projeto voltado às crianças, adolescentes e demais munícipes que, por uma situação de rua, pelas drogas, são acolhidos pelo Poder Público, por meio da Secretaria de Assistência Social. “Nosso governo está investindo na construção da Fazenda Paraíso, onde não se acolherá apenas o dependente químico. Ele vai receber tratamento laboratorial, clínico, psicanalítico, médico e espiritual”, enfatizou Nivan, apontando que a Câmara de Duque de Caxias foi muito responsável por ter aprovado um projeto de grande importância para o município.

Encerrando as manifestações, o presidente Sandro Lélis fez um breve relato da situação do município nos últimos anos, os desafios que a atual administração enfrenta e as conquistas que, aos poucos, têm acontecido. Também chamou a atenção para a situação dos moradores próximos à CRT Rio/Magé que, diariamente, convivem com o desconforto e a falta de segurança para pegarem o transporte às margens da rodovia.

“Tem o pedágio mais caro do mundo de R$19,30 por eixo, que é uma vergonha, um absurdo. Por muitos anos, particularmente, tenho enviado ofícios ao DNITT, ANTT e à própria CRT e nada é construído naquela região com aquele pedágio”, disse Sandro, ressaltando situação semelhante da Concer com a Avenida Washington Luís.

Ressaltou que a Câmara está empenhada em resolver o problema se for o caso com a instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), além da realização de uma audiência pública com representantes da CRT para que possam discutir com a população melhorias nas condições de vida.