Câmara debate serviço da Light e Enel em audiência pública

Em 25, maio, 2019
Câmara debate serviço da Light e Enel em audiência pública

Câmara debate serviço da Light e Enel em audiência pública

Motivados pela grande demanda de denúncias e reclamações dos serviços das concessionárias de energia elétrica Light e Enel em Duque de Caxias, vereadores se reuniram com a população em audiência pública neste sábado, dia 25, na Câmara Municipal.

“Recebemos inúmeras reclamações de munícipes sobre falha no fornecimento de energia elétrica e falta de qualidade do serviço ofertado, além de tarifas e multas abusivas. O objetivo dessa audiência é reunir mais elementos para buscar os tribunais por meio de uma ação civil pública. Estamos oficializando hoje essas denúncias para recorrer ao Ministério Público. A ausência de representantes das empresas hoje aqui não me surpreende, pois é esse tipo de comportamento desrespeitoso que elas têm com nossa população”, disse o vereador Marcos Tavares (PSDC), propositor da audiência e autor da lei que proíbe a instalação de chips medidores de energia.

Presidente da Câmara, o vereador Sandro Lelis (PSL) deixou a Casa à disposição da população. “Infelizmente, os serviços dessas empresas são de péssima qualidade. Essa Casa convidou as duas e mais uma vez fizeram pouco caso da nossa população e da Câmara. Vamos seguir nessa batalha e uma hora elas terão que vir a público dar satisfação às pessoas. Podem contar com essa Casa.”

O vereador Nivan Almeida (PRP) afirmou que a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica), que regula o setor elétrico brasileiro, também foi convidada para a audiência. “O mais importante é a participação da população, pois, a partir dessa audiência, vamos construir um documento para tomarmos as iniciativas necessárias. A audiência pública é um dos instrumentos mais democráticos e essa Casa dá uma demonstração inequívoca de responsabilidade e compromisso com a população. Nossa parte democrática está feita, agora vamos resolver nos tribunais.”

Sugerindo a criação de uma comissão especial de vereadores para acompanhar a CPI da Alerj que investiga os serviços prestados pelas concessionárias de energia elétrica, o vereador Eduardo Moreira (PT) destacou que os políticos precisam se unir contra os abusos e por um serviço de excelência à população. “Os poderes precisam criar um entendimento e ter mais sensibilidade. As pessoas estão sofrendo pelo péssimo atendimento de um serviço essencial, é um assunto de grande relevância e que venho batalhando há muito tempo nessa Casa por meio de audiências e projetos.”

Secretário de Serviços Públicos, Eduardo Feital ressaltou que a Prefeitura tem recorrido à Justiça contra as concessionárias. “Entramos com uma ação porque essas empresas vêm cobrando valores muito acima do que estamos gastando. Não conversamos mais, vamos à Justiça e estamos conseguindo algumas coisas, já economizamos cerca de R$ 10 milhões, recurso que usamos para oferecer iluminação de qualidade à Cidade. Estamos investindo em iluminação de led, que proporciona 60% de economia e tem maior durabilidade.”

Diretor do Procon Duque de Caxias, Yuri Ramalho orientou que as pessoas lesadas procurem o órgão que fica na Praça Roberto Silveira, 31- 3º andar. “A participação de vocês é importante para que possamos atuar e nossa função é fiscalizar e aplicar as normas para fazer valer os direitos de todos vocês.”

A plenária se manifestou e relatou diversos casos sobre cobrança de multas indevidas, corte irregular de energia elétrica e falha na distribuição do serviço. “Já processei uma vez a Light porque fizeram a cobrança da minha conta por estimativa e a conta veio com valor seis vezes acima do que costumo consumir”, informou Zenilda Araújo da Silva.

“Tive minha energia elétrica cortada mesmo com as contas em dia e os comprovantes em mãos, é muito desrespeito com a população”, sentenciou Jorge Martins.

“A Light me mandou duas contas com o mesmo vencimento em fevereiro e maio com valores absurdos e duplicados. Eu pedi revisão, mas eles se negaram”, alegou Tatiane Melo.

“Ganho um salário mínimo, não tenho ar condicionado e nem micro-ondas em casa e a minha conta chegou no valor de R$ 800,00, é absurdo. Eu não gasto tudo isso”, enfatizou Paula Cristina.

Ao final da audiência, a Câmara se comprometeu a seguir firme para solucionar os problemas da população. “Não daremos um passo para trás, vamos com toda força encarar os poderosos. Vamos deflagrar uma ação para dar uma resposta à população caxiense e a esses empresários que insistem em desrespeitar a nossa Cidade”, finalizou o vereador Marcos Tavares.