Comissão de Educação reúne autoridades para debater violência nas escolas

Em 28, março, 2019
Comissão de Educação reúne autoridades para debater violência nas escolas

Comissão de Educação reúne autoridades para debater violência nas escolas

A Comissão de Educação da Câmara Municipal de Duque de Caxias reuniu autoridades municipais nessa quinta-feira, dia 28, para debater violência nas escolas. O objetivo é trabalhar a prevenção e formar uma rede de apoio para evitar casos como o ocorrido na escola de Suzano, em São Paulo.

“Como mãe, mulher e vereadora, tenho cada vez mais preocupação com as nossas crianças ao ver casos de violência nas escolas. Não é novidade que a nossa Guarda Municipal tem um efetivo pequeno, assim como o 15º Batalhão da Polícia, é utopia achar que podemos dar conta de atender todas as escolas. Mas, com a soma de esforços pode ser a saída”, disse a vereadora Deise do Seu Dino (PTC), presidente da Comissão de Educação, que anunciou uma indicação e um projeto de lei. “Vou indicar sistema de monitoramento nas escolas municipais, como o que já existe nas estaduais, e vou propor a lei da criação de botão de pânico para que as escolas acionem a Polícia.”

Integrante da Comissão, o vereador Valdecy (PP) também informou a propositura de uma indicação parlamentar. “Vou propor a instalação de detectores de metal na entrada das escolas para dificultar a ação de pessoas mal intencionadas. Estou muito feliz com essa iniciativa de trabalharmos a prevenção. Se toda política pública fosse voltada para a prevenção, teríamos uma sociedade mais consciente.”

A ação se deu a partir de uma reunião da Secretaria Municipal de Educação em que foram levantadas sugestões para trabalhar a temática nas escolas. “Surgiu a ideia de criar um grupo de trabalho envolvendo diversos setores da Cidade. Esse momento é importante para começar a planejar ações de curto, médio e longo prazo, como treinar os porteiros das escolas, traçar rotas de fuga para situações emergenciais, criar uma comunicação direta com o 15º Batalhão da Polícia, abordar o tema bullying, etc. Será uma ação conjunta com órgãos setorizados para trabalhar de forma pontual e contínua, resgatando a ordem e o sentido de coletividade”, explicou a secretária Cláudia Viana.

O secretário de Políticas de Segurança e Gestões Tecnológicas, Robson André, também integrará a ação. “Parto aqui para algumas ações que já podemos implementar. Já existe um trabalho do 15º Batalhão com a ronda nas escolas estaduais, podemos integrar em conjunto para abranger também as escolas municipais. Nós temos um projeto na Secretaria sobre voluntariado civil para atuar na entrada e saída das crianças nas escolas, é a forma de levar para a unidade aquele responsável que tem um familiar estudando ali e quer participar e se envolver. Já o botão de pânico poderia ser integrado à nossa Central de Monitoramento.”

Listando outras medidas, o secretário Robson André fez um alerta: “Esse trabalho tem que ser realizado com muito cuidado e de forma bastante consciente para não assustar os alunos e transformar as escolas em prisões. Escola é lugar de alegria, amizade, companheirismo.”

Presidente do Conselho Comunitário de Segurança, Osmar de Paiva sugeriu a instalação de bloqueadores de celular dentro das escolas. “Acho importante usar a tecnologia para trabalhar a inovação e buscar soluções. Também peço aos vereadores que estudem a possibilidade de aumentar o efetivo do Conselho Tutelar na Cidade.”

O conselheiro tutelar Romildo Batista também esteve presente na reunião e fez sugestões. “Precisamos traçar as escolas com maior índice de violência para atuar de forma mais imediata. Precisamos de maior integração entre as escolas e o Conselho Tutelar, seria interessante criar um projeto para esclarecer a real função do conselho, que é ajudar a tirar a criança de situações de vulnerabilidade e violência.”

Representantes do Sindicato das Escolas Particulares de Duque de Caxias (SINEPE) participaram da reunião e pediram para que todas as ações incluam também as escolas particulares do Município. “Nós também estamos muito preocupados com a violência nas escolas e gostaríamos de contar com esses projetos. No passado, tínhamos comunicação com o Batalhão da Polícia. Queremos retomar esse contato e também ter como acionar a Secretaria de Educação”, declarou o presidente do órgão, Oswaldo da Silva Filho.

Responsável pelo Processo Appell, Ariel Blanco se colocou à disposição para contribuir. “A Defesa Civil tem a missão de treinar e capacitar. Na gestão passada do prefeito Washington Reis, nós fazíamos curso de preparação para porteiros, podemos resgatar esse projeto que já está pronto e adaptá-lo de forma pedagógica para essas ações pontuais.”

O 15º Batalhão da Polícia Militar esteve representado pelo major Carlos, que propôs a criação de um grupo no WhatsApp com as diretoras de escolas. “O Batalhão já realiza um trabalho de sucesso com as escolas estaduais para a rápida chegada de viaturas em qualquer caso nas unidades escolares, com o grupo Denuncie ao Comandante. Podemos estender isso a todo Município, deixo o Batalhão à disposição.”

Presidente da Comissão de Saúde na Câmara, a vereadora Juliana do Táxi (PSD) parabenizou a iniciativa e disposição de todos os envolvidos. “Esse governo tem um time de secretários com atenção e empenho fora do comum para atender a nossa população e garantir o bem comum na Cidade. A Câmara também está empenhada nessa causa e quer trabalhar em conjunto.”

Ao final da reunião, grupos de trabalho foram definidos e novos encontros foram agendados para dar prosseguimento às ações. “Precisamos estabelecer essas relações para avançar no nosso Município e dar respostas positivas às pessoas”, finalizou a secretária Cláudia.