Vereadores apontam demandas da Cidade

Em 27, fevereiro, 2018
Vereadores apontam demandas da Cidade

Durante a sessão da Câmara Municipal de Duque de Caxias desta terça-feira, dia 27, os vereadores aproveitaram o tempo regimental dos discursos para apontar as demandas da Cidade e pedir maior atenção ao prefeito.

“Quero elogiar o prefeito Washington Reis por olhar pela minha comunidade, o bairro Pantanal, que ganhou sua primeira UBS (unidade básica de saúde) e que agora também vai ganhar uma escola. Mas, peço atenção urgente em relação ao resultado das últimas enchentes, o bairro está todo sujo, ainda não fomos atendidos”, disse o vereador Clovinho (PDT).

O vereador Junior Uios (PT) relatou problema em uma unidade escolar. “Estive na escola Hilda do Carmo, que está completamente deteriorada devido à falta de manutenção e anos de abandono. A diretora tem feito requerimentos à secretária de Educação, mas não tem resposta. Isso vem se repetindo também comigo e os demais vereadores, não recebemos respostas dos requerimentos que enviamos à Secretaria, isso dificulta a solução das demandas da população. Convido toda Comissão de Educação da Câmara a visitar as demais escolas, levantar os problemas e enviar relatórios ao prefeito.”

Mudando a pauta para segurança, o vereador Catiti (Podemos) fez uma observação. “Agradeço ao Conselho Municipal de Segurança; ao comandante do 15º Batalhão de Polícia Militar, coronel Porto; aos delegados de Caxias e ao vereador Cowboy Beleza pela brilhante reunião sobre segurança no bairro Engenho do Porto. O comandante não tem fugido às responsabilidades e quero aqui fazer meu manifesto de respeito a ele e a todos os policiais.”

Concordando com o colega, o vereador Gilberto Silva (PPS) ressaltou: “Me solidarizo com as palavras de reconhecimento ao coronel Porto, que tem grande afinidade com essa Cidade e que, além da sua capacidade intelectual, tem grande talento policial.”

ORDEM DO DIA – Os vereadores também votaram na sessão desta terça-feira uma mensagem do prefeito que vetava emendas aditivas ao projeto de lei que estima receita e fixa despesas do Município para este ano. As emendas aprovadas em 2017 referiam-se a recursos destinados para atender emendas parlamentares e para atender as necessidades do bairro Jardim Gramacho. O veto do prefeito foi rejeitado por 20 votos contrários e três favoráveis.

Líder do governo na Casa, o vereador Nivan Almeida (PRP) explicou que o veto se deu porque o orçamento desse ano já estava programado. “Nesse momento, o governo não tem recurso disponível para destinar a essas emendas.”

O vereador Chiquinho Grandão (PP) rebateu: “Se a lei foi aprovada ano passado, o governo já tinha que prever os recursos dessas emendas. Houve erro dos técnicos que auxiliam o prefeito.”