Relatórios do primeiro quadrimestre da Saúde são expostos na Câmara

Em 28, maio, 2019
Relatórios do primeiro quadrimestre da Saúde são expostos na Câmara

Relatórios do primeiro quadrimestre da Saúde são expostos na Câmara

A Secretaria Municipal de Saúde apresentou dados do primeiro quadrimestre de 2019 nesta terça-feira, dia 28, em audiência pública na Câmara Municipal de Duque de Caxias. Na ocasião, foi informado que o percentual de aplicação dos recursos em ações e serviços de saúde no período chegou a 19,74%, acima do limite constitucional (15%).

As receitas realizadas do primeiro quadrimestre ultrapassaram os R$ 134 milhões, sendo R$ 57.343.028,43 de recursos próprios e R$ 76.552.955,60 de repasses dos governos estadual e federal. O setor de média e alta complexidade foi o que mais recebeu investimento, pouco mais de R$ 58 milhões, seguido da atenção básica, que recebeu R$ 9.953.597,89.

A cobertura da atenção básica atingiu 39,05% do Município, um pouco abaixo do pactuado para o período (43%). A cobertura da saúde bucal chegou a 17,06%, quando o pactuado era 33%. Já as investigações aos óbitos fetais, maternos e de mulheres em idade fértil superaram as expectativas: 81,71%, 100% e 91,06%, respectivamente.

Endemias – Vereadores e populares levantaram a questão da prevenção ao mosquito aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya. “Temos uma epidemia instalada na Cidade, não podemos confirmar porque não temos como fazer os exames. Só no Pilar, na semana passada, constatamos 2.000 pessoas com os sintomas da chikungunya. Oito carros fumacê não são suficientes para atender todo o Município, é preciso melhorar a estrutura e trabalhar fortemente a prevenção antes que o verão chegue e o número de casos aumente”, alertou o vereador Chiquinho Grandão (PP).

De acordo com o Superintendente de Endemias, Alex Freitas, existem 520 casos notificados de chikungunya. “Temos feito um trabalho de prevenção diariamente e Duque de Caxias tem um dos cinco menores índices do Estado do Rio de Janeiro. Em 2018 fizemos 766 ações de bloqueios e tivemos 125 casos de dengue e 333 de chikungunya. Estamos realizando palestras de conscientização nas escolas e associações de bairros. Convocaremos no próximo mês mais 250 agentes porque hoje realmente não temos funcionários para atender toda demanda.”