Secretaria de Saúde apresenta dados do primeiro quadrimestre

Em 29, maio, 2018
Secretaria de Saúde apresenta dados do primeiro quadrimestre

A Câmara Municipal de Duque de Caxias recebeu a Secretaria de Saúde nesta terça-feira, dia 29, para exposição de dados relativos ao primeiro quadrimestre do ano. Durante a audiência, vereadores e Conselho Municipal de Saúde puderam tirar dúvidas e apresentar as demandas da população.

De acordo com os relatórios, a receita para aplicação em ações e serviços de Saúde foi R$ 127.472.901,32, sendo R$ 49.103.266,69 recursos próprios e R$ 71.539.544,33 repasses estaduais e federais. O percentual de investimentos no setor chegou a 22,91%, maior que o previsto na Constituição (15%). “Estamos nos empenhando ao máximo para amenizar os problemas na Cidade, pegamos um cenário complexo na Saúde, mas já estamos fazendo planejamentos para os próximos anos”, afirmou o secretário municipal José Carlos de Oliveira.

Ainda segundo os dados apresentados, o Hospital Municipal do Olho já mostra resultados expressivos: 22.260 atendimentos no primeiro quadrimestre do ano, entre exames, consultas e cirurgias. A cobertura da atenção básica de saúde chegou a 42,6% e da saúde bucal atingiu 18,96%. “Estamos com atendimento em horário diferenciado na odontologia no Hospital Moacyr do Carmo e a ideia é colocar 24 horas para atender melhor a população, 31 novos dentistas serão contratados no Município”, garantiu o secretário.

Presidente da Comissão de Saúde da Câmara, a vereadora Juliana do Táxi (PSD) parabenizou a Secretaria e o Conselho Municipal pelo empenho em prol da Saúde e fez algumas observações. “Peço atenção especial no atendimento ao pré-natal de alto risco, pois a demanda é alta, assim como a de fonoaudiologia.”

O secretário informou que o Município está tendo dificuldades para contratar médicos ginecologistas, mesmo com uma oferta de salário mais alto. “Pré-natal de alto risco é responsabilidade do Estado, mas estamos atendendo porque realmente a demanda é alta na Cidade. Estudamos a possibilidade de implantar também o pré-natal de médio risco para complementar.”

Reivindicando a ampliação do Programa de Saúde da Família, o vereador Marcos Tavares (PSDC) fez uma sugestão: “Precisamos criar uma alternativa para que as pessoas possam fazer seus tratamentos fora do horário de trabalho, há a necessidade de ampliar o horário de atendimento nas unidades até às 20h ou 22h. Os tratamentos adequados reduziriam os gargalos nas emergências dos hospitais.”

O vereador Junior Uios (PT) cobrou ações preventivas contra o mosquito aedes aegypti, transmissor de doenças como dengue, zyca e chikungunya. “Desde o primeiro dia desse governo, os agentes de endemias realizaram um trabalho fantástico e não ouvi relatos de moradores com essas doenças, diferente de 2016. Preocupa-me o fato de não ter visto nenhuma ação contra o mosquito nesse ano, tenho ouvido relatos da doença, inclusive. As unidades de saúde já estão superlotadas e ter um acréscimo de demanda por falta de prevenção a essas doenças é uma grande falha.”