Câmara de Caxias cobra maior segurança no Arco Metropolitano

Em 19, junho, 2017
Câmara de Caxias cobra maior segurança no Arco Metropolitano

A Câmara Municipal de Duque de Caxias realizou nesta segunda-feira, dia 19, audiência pública para debater a falta de segurança no Arco Metropolitano e cobrar providências urgentes das autoridades competentes. Para tanto, convidou representantes do DER, DNIT, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Militar, bem como deputados, para levar a questão às esferas estadual e federal.

“O Arco Metropolitano foi construído com a missão de desviar o tráfego das vias urbanas e minimizar os engarrafamentos, mas não cumpre seu papel justamente pela falta de segurança em toda sua extensão. Hoje, estamos dando um pontapé inicial para buscarmos a solução para o problema que se tornou o Arco”, justificou o presidente da Câmara de Duque de Caxias, vereador Sandro Lelis (PSL).

Propositor da audiência, o vereador Chiquinho Grandão (PP) afirmou que falta vontade política para resolver a questão. “Precisamos discutir com quem vai ficar esse elefante branco. O DER não assume por falta de recursos, o DNIT também não assume e fica esse jogo de empurra. Na verdade, é uma questão muito mais política do que outra coisa, por isso, convidamos os deputados estaduais e federais para que essa discussão seja ampliada. Nós, enquanto Câmara Municipal, estamos fazendo nosso papel.”

Secretário Municipal de Segurança em Caxias, Robson André fez uma sugestão: “Poderíamos nos unir e pedir que a Força de Segurança Nacional viesse trabalhar no Arco Metropolitano, para que esse cumpra seu papel de escoar o trânsito das cidades.”

O chefe de operações da Polícia Rodoviária Federal (PRF), Rafael Alvim, rebateu a proposta. “A Força Nacional não foi criada para assumir obrigações que devem ser da PRF ou da PM, ela foi criada para suprir situações emergenciais. Existe uma tratativa para que o DNIT assuma o Arco Metropolitano e a segurança passe a ser de responsabilidade da PRF, mas realmente falta vontade política.”

Diretora de projetos do DER, Elizabeth Paiva contribuiu com outra ideia. “Uma solução possível seria a concessão da rodovia, isso minimizaria os problemas de segurança no Arco.”

O deputado estadual Zito (PP) parabenizou a Câmara Municipal pela iniciativa e se propôs a levar a discussão para a Alerj. “Para que possamos ir além nesse encaminhamento é preciso ampliar essa discussão, falando de passado, presente e futuro. Por isso, proponho aos meus companheiros de Assembleia que levemos esse debate ao Estado.”

Defendendo que o Arco Metropolitano fique a cargo do Estado, o deputado estadual Rosenverg Reis (PMDB) lembrou que os investimentos para construção da rodovia foram 60% estaduais e 40% federais. “Ninguém abre mão do que investiu e nós ficamos no meio dessa briga, sofrendo pela falta de segurança. Precisamos fazer um abaixo assinado para desburocratizar essa briga de posse, pois, ficando sob a responsabilidade do Estado, teremos mais acesso para resolver essa questão.”

O deputado federal Áureo (Solidariedade) afirmou que a situação do Arco Metropolitano já está sendo discutida em Brasília. “Apresentei projeto de Lei na Câmara Federal tornando o Arco uma estrada federal para que os recursos sejam mais viáveis, afinal, é um problema de todo País. Tivemos a oportunidade de discutir com o presidente da República a situação da segurança pública do Estado do Rio de Janeiro para que possamos usar de inteligência para elaborar um plano de segurança.”